sábado, 31 de janeiro de 2009

Controle do espaço aéreo alemão confirma caso oficial de OVNI

Por Administrator

30 de janeiro de 2009

Fonte: Austrian Times
Tradução: Milton Dino Frank Junior

Alguns pilotos de caças alemães viveram um drama com um OVNI no espaço aéreo alemão, e esta notícia foi liberada no dia 29 de janeiro de 2009.
O objeto misterioso foi localizado se movimentando pelo país inteiro numa velocidade enorme depois de ser detectado pelo controle de tráfico aéreo da Alemanha no dia 19 de janeiro de 2009.  
Agora um relatório oficial do avistamento deste OVNI está sendo compilado pelo departamento de controle e segurança do espaço aéreo do país, o DFS.
Os investigadores já estudaram o fato e excluíram a possibilidade de serem aeronave, balões atmosféricos ou fenômenos atmosféricos.
"Filtramos todas as possibilidades convencionais - é um mistério," disse porta-voz do DFS Axel Raab.
Os jatos da força aérea alemã foram colocados em alerta vermelho e surgiram vários relatórios sobre o objeto que voou pelo Sul da Alemanha, e que passou por cima de vários aeroportos que foram ordenados a ficar em estado de emergência.
O objeto desapareceu quando estava voando nos céus de Grafenwoehr, numa área usada por  
Tropas americanas para fazer exercícios militares.
Raab disse: "Quando o objeto desapareceu do radar nós acreditamos que este tinha se chocado, mas não apareceu nenhum relato de estrondos ou de restos de materiais caídos no solo para que esta possibilidade fosse declarada como real."
"Foi um mistério completo. Confundiu os operadores de radar porque o objeto continuou se movimentando na tela de momento em momento, como se durante algum instante o objeto não estivesse lá. Então, o misterioso objeto simplesmente desapareceu completamente no meio de céu".

Fonte: www.cubbrasil.net

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Telescópio faz imagem de jatos emitidos por buraco negro

Centaurus A é a galáxia gigante mais próxima de nós, localizada a 13 milhões de anos-luz e tem núcleo ativo

da Redação

SÃO PAULO - Astrônomos conseguiram novas informações sobre a galáxia ativa Centaurus A, graças a imagens dos jatos de gás emitidos pelo buraco negro central da estrutura feitas pelo telescópio  Atacama Pathfinder Experiment, ou Apex, baseado no Chile e administrado pela Organização Europeia de Pesquisa Astronômica, a ESO.

Imagem revela o brilho das ondas de rádio emitidas a partir dos jatos de Centaurus A. ESO

Centaurus A é a galáxia gigante mais próxima de nós, localizada a 13 milhões de anos-luz, na constelação do Centauro. Trata-se de uma galáxia elíptica que está em processo de fusão com uma galáxia espiral, o que gera áreas de intensa formação de estrelas. Centaurus A abriga uma região central extremamente quente e luminosa, condições produzidas pela presença de um buraco negro supermassivo.

Na imagem do Apex, é possível ver o anel de poeira que circunda a galáxia e os jatos ejetados do núcleo galáctico, que emitem ondas de rádio.

na faixa de onda captada pelo telescópio, é possível ver não só o brilho gerado pelo calor do núcleo, mas também - e pela primeira vez - a emissão da fonte de ondas de rádio central e as projeções, que também, emitem rádio, ao norte e ao sul do disco.

Fonte:

http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,telescopio-faz-imagem-de-jatos-emitidos-por-buraco-negro,314475,0.htm

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

OVNI emite feixe de raio no solo da região de Starooskolsk

Por Administrator

27 de janeiro de 2009

Fonte: All News
Tradução: Milton Dino Frank Junior

Ilustração

Um OVNI misterioso foi testemunhado por várias pessoas de várias aldeias na Rússia Ocidental na noite de 6 de janeiro de 2009. O OVNI tinha o formato de um cilindro e mudou de cor sendo de branco para azul.
Emitiu um raio laser branco na direção do chão. O OVNI se movia de um jeito bem diferente do que qualquer tipo de aeronave terrestre. O incidente foi divulgado amplamente na mídia russa, mas surpreendentemente não recebeu nenhuma cobertura da mídia de outros lugares.
Cidadãos de Kurskaya, Gatovya, Manakhova e Terekhova na região de Starooskolsk perto da cidade de Belgorad, que fica a 40 quilômetros da fronteira com a Ucrânia viram o objeto. Muitas pessoas afirmaram que observaram interferências na recepção do sinal de TV, que aumentava quando o raio laser atingia o chão e quando o objeto estava em cima de suas casas.
Alguns cépticos estão afirmando que o que foi visto foram os refletores próximos as minas e das fábricas, porém muitas pessoas não acreditam porque esta explicação não responde como aconteceu a interferência na recepção do sinal de suas televisões.
O casal Skripov, da aldeia perto de Gorodishka, também não concorda com os cépticos porque o casal afirma que viu um raio atingir diretamente a estrada na frente de seu carro. "Estamos familiarizados com refletores e o que vi não era um refletor" disse o senhor Skripov. De acordo com testemunha o objeto também emitia raios sobre as nuvens. 

Fonte: CUB

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Mistério no céu do Texas

Data da postagem: 16/01/09

Por Lane Luckie

Alto,Texas, EUA - Uma coluna de luz branca apareceu nas fotografias tiradas por sensores de movimento, na propriedade de Harry e Bonni, na cidade de Alto, no Texas. Os sensores foram colocados para vigiar os animais que andam pela floresta de pinho. Quando os porcos chegaram no local em os sensores estão instalados, uma coluna de luz surgiu do céu. Com a câmera infra-vermelho automática, foram tiradas 18 fotos num período de 15 minutos. Ela não possui fhash que emite luz visível. As imagens mostram uma coluna branca de luz em movimento, através de um padrão aleatório no céu. Harry e Bonnie não podem explicar o que as luzes estavam fazendo sobre sua propriedade, mas eles tem a certeza de que não eram extra-terrestres. Descrevendo a fotografia, Harry disse:"Você está vendo luzes. Não viu nada sólido." Eles tem planos para manter suas câmeras apontadas para o céu. Bonnie disse que não planeja ficar lá para saber o que pode ser, e o melhor mesmo, é deixar essa missão para as câmeras.

Vejam vídeo:

video

Fonte: UFOCASEBOOK
Versão da tradução: Marcos Ancillotti

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Satélite indiano faz 1ª imagem de dentro de cratera lunar

Radar sonda o fundo de crateras que nunca recebem luz solar e que poderiam conter água congelada. Faixa de imagem inéditade radar mostra o que há no fundo de cratera imersa em sombras eternas na Lua

Divulgação/Nasa

Faixa de imagem inéditade radar mostra o que há no fundo de cratera imersa em sombras eternas na Lua

SÃO PAULO - Um equipamento da Nasa, montado na sonda lunar indiana Chandrayaan-1, fez as primeiras imagens do interior de algumas das crateras mais frias e escuras da Lua.

O instrumento Mini-SAR, um radar, enviou para a Terra seus primeiros resultados. As imagens mostram o piso de crateras polares cujas profundezas estão perpetuamente na sombra. Cientistas estão usando o radar para procurar água no interior dessas crateras.

As imagens, feitas em 17 de novembro, cobrem parte da cratera de Haworth, no polo sul da Lua, e a borda da cratera de Seares, perto do polo norte. Áreas brilhantes nas imagens podem representar tanto irregularidades na superfície quanto encostas apontando diretamente na direção do satélite.

"Ao longo dos próximos meses, esperamos ter um instrumento totalmente calibrado e operacional, recolhendo dados científicos preciosos da Lua", disse o executivo Jason Crusan, do Diretório de Missões da Nasa em Washington, em nota distribuída pela agência espacial.

Fonte:

http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,satelite-indiano-faz-1-imagem-de-dentro-de-cratera-lunar,309516,0.htm

OVNIs fotografados na provincia de Buenos Aires

image

Um jovem visualizou enquanto jogava no terraço de sua casa. No dia seguinte, jogando com o zoom da câmera digital, seu pai comprovou que os objetos eram muito parecidos aos objetos voadores não identificados que se veem pela web. 
Uma adolescente de 15 anos detectou um grupo de OVNIs enquanto passava um fim de semana junto de sua família em sua casa, em Rafael Castillo. O avistamento foi realizado no dia 11/01/09, e seu pai Víctor, voltou a ver as naves no dia seguinte, enquanto olhava pelo zoom da câmera de sua filha.  
O homem que capturou as imagens, reconheceu ter feito isso por acaso, e que no momento da foto, não percebeu ruídos e nem cores estranhas. "Parecia estranho para ver estes objetos no céu, penso que é uma experiência única e que acontece de forma contínua, se um está atento ao que acontece na terra como no céu", disse Víctor Martínez, protagonista desta interessante história. Esta não é a primeira vez que a família Martinez capta um objeto não identificado deste tipo: há alguns anos, em férias no Mar Azul, também teve uma foto com outra câmera, que poderia ver uma estranha figura no céu.

Fonte: www.minutouno.com

sábado, 17 de janeiro de 2009

UFO na forma triangular capturado em vídeo

Vídeo de UFO capturado no dia 8 de janeiro de 2009, por um jovem de 18 anos, de New Jersey, quando passava férias na casa de seus tios em Pasadena, Califórnia.

Dados do equipamento: Panasonic PV-GS400, zoom óptico de 12x, 700x de zoom digital. Lente Leica Dicomar - Formato do Tape: MiniDV - Resolução: 2288 x 1728 pixels.

UFO parecido, filmado na Rússia.

Fonte: http://www.incahoots.tv/features/2009/january/uforeports1/video.htm

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

NASA prestes a anunciar vida em Marte

Os fãs de ficção científica podem ter mais um motivo para acreditar em vida extraterrestre.

A NASA, Agência Espacial Norte-Americana, pode estar prestes a anunciar que a neblina de metano que cobre o planeta Marte é proveniente de vida microscópica sob o solo do planeta.

image

O anúncio pode ser feito em uma entrevista coletiva na capital Washington, na sede do órgão.
Pesquisadores do mundo todo ficaram empolgados com a idéia de se descobrir vida em Marte após os indícios de água e gelo no planeta. Mesmo sabendo que o metano produzido na Terra vem dos vulcões, os cientistas continuam esperançosos, pois, ao contrário daqui, nenhum vulcão ativo já foi encontrado em Marte.

Para aumentar as expectativas, as maiores quantidades de metano foram encontradas nas mesmas regiões em que há grande quantidade de vapor de água. A presença de água é absolutamente necessária para a existência de vida.

O especialista espacial britânico Nick Pope falou com alguns jornais e demonstrou entusiasmo. “Nós apenas procuramos na superfície até agora. É certo de que há vida lá fora e de que não estamos a sós”, afirmou.

Só esperamos que os nossos “vizinhos” sejam mais amigáveis do que os de Hollywood…

Fonte:

http://www.dailytech.com/NASA+Expected+to+Announce+Signs+of+Life+on+Mars/article13948.htm

http://hypescience.com/nasa-vida-em-marte/

Registrado o primeiro possível pouso de UFO em 2009

A marca mede 1,25 m de diâmetro, tamanho equivalente ao de um guarda-sol aberto

O primeiro registro de formação de um ninho - marca deixada pelo pouso de um UFO -, em 2009, ocorreu em um terreno no Balneário Costa Azul, entre Mongaguá e Itanhaém, litoral sul do estado de São Paulo. Na madrugada de sexta-feira, 09 de janeiro, a cabeleireira Rita de Cássia Néris, que passava uns dias na casa de parentes, localizada na esquina do terreno onde ocorreu o suposto pouso de um UFO, observou pela janela dos fundos uma forte luz que vinha da direção da marca encontrada. “Ouvi um ruído e vi uma enorme claridade entrando pela janela que parecia um holofote que vinha do alto, também havia luzes coloridas, isso era 00h30”, relatou Rita. A janela fica a uns 20 m de distância da estranha marca circular. Coincidentemente, outro caso bem parecido ocorreu no mesmo horário três dias antes. Um senhor, que preferiu não se identificar, entrou em contato com o ufólogo e consultor da Revista UFO Paulo Aníbal G. Mesquita, relatando que havia observado um estranho objeto esférico sobrevoando o terreno.


O ufólogo Paulo Anibal coletou material para análise

Nos dias 08 e 09 de janeiro, Mesquita esteve no local para fazer medições e coletar material para análise da estranha marca circular encontrada no meio do mato, de 1,25 m de diâmetro, tamanho equivalente ao de um guarda-sol aberto. Ao redor do círculo a vegetação estava aparentemente intacta, sem vestígios de corte ou rastro lateral, sustentando a hipótese da aproximação de algum objeto vindo de cima. Após a divulgação deste fato na região, Simone Santos, moradora da cidade de Santos, cujos pais moram em Mongaguá, relatou que “Na virada de ano, à 01h00, vimos um objeto que parecia um balão, mas não era, seguia em rota sentido centro praia e depois apareceu do outro lado de Mongaguá”. Infelizmente, o círculo sobre o solo não durou muito tempo, pois durante toda noite de 10 de janeiro uma forte chuva caiu sobre a cidade, inundando completamente o terreno em que ocorrera o primeiro incidente ufológico de 2009.


A forte chuva que caiu na noite de 10 de janeiro alagou a marca

Fonte: Portal UFO

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Jovem Sol pode lançar luzes sobre a origem da vida

Redação do Site Inovação Tecnológica
15/01/2009

O satélite Corot que tem participação brasileira e cujo principal objetivo é descobrir planetas extrassolares, agora descobriu uma nova estrela, com idade aproximada de 500 milhões de anos, que lembra muito o nosso Sol quando jovem.

Batizada de Corot-Exo-2a, a estrela possui um planeta gigante muitíssimo próximo, capaz de dar uma volta ao seu redor em apenas 1,7 dia.

image

Concepção artística do satélite Corot e da estrela que lembra o Sol quando jovem.[Imagem: Corot]

Tempestades solares

Com sua fotometria de altíssima precisão, o Corot conseguiu observar a estrela por mais de 150 dias. Esses dados de longo prazo mostram variações de fluxo de cerca de 6% - pelo menos 20 vezes maiores do que as do Sol atual - com uma modulação periódico de 4,5 dias.

Esse "sol jovem" possui tempestades solares semelhantes às do Sol, mas que atingem áreas maiores e que se modificam continuamente à medida que a estrela gira. Essas áreas oscilam em ciclos de apenas 29 dias. O Sol apresenta ciclos semelhantes, mas com duração de 11 anos.

Os astrônomos acreditam que esses ciclos inesperadamente curtos podem ser devidos à alta rotação da estrela ou a perturbações induzidas pela grande proximidade de seu planeta gigante. A estrela e seu planeta estão separados por uma distância equivalente a apenas 3% da distância entre o Sol e a Terra.

Abiogênese

Os astrônomos do projeto Corot esperam que o satélite consiga informações essenciais para o entendimento da abiogênese, ou geração espontânea, o processo segundo o qual a vida emergiu de alguma forma da matéria inerte e que hoje é considerada a explicação clássica da ciência para o surgimento da vida.

Nosso Sol, durante o estágio evolucionário correspondente ao da Corot-Exo-2a, a estrela que acaba de ser descoberta, já lançava seus raios sobre a Terra quando os processos que levaram ao surgimento da vida em nosso planeta estavam começando.

A presença de intensas atividades magnéticas no jovem Sol e a variabilidade de sua luz certamente afetaram esses processos. O estudo de estrelas parecidas com o Sol deverá contribuir para o entendimento da influência das estrelas sobre seus planetas durante as fases cruciais de sua evolução.

Bibliografia:
Magnetic activity in the photosphere of CoRoT-Exo-2a
A. F. Lanza et al.
Astronomy & Astrophysics
January 2009
DOI: 10.1051/0004-6361:200810591
http://www.aanda.org/doi/10.1051/0004-6361:200810591/pdf

Fonte: Inovação Tecnológica

Gás detectado em Marte pode ser sinal de formas de vida.

Observação intensa de metano foi feita por cientistas da Nasa.
Origem pode ser geológica ou biológica, afirma agência americana.

Salvador Nogueira
Do G1, em São Paulo

Em regiões localizadas do território marciano, alguma coisa soltou um gás. E desconfia-se que possa ter sido alguma formas de vida no planeta vermelho.

A hipótese ainda é muito preliminar, e os cientistas admitem que a produção relativamente intensa do tal gás pode ser fruto de atividade geológica -- sem ter ligação com vida, portanto. De toda forma, é surpreendente.

image

Imagem mostra emissão de metano em Marte, nas três principais regiões onde ela foi detectada; quanto mais vermelho, mais metano (Foto: Science)

A descoberta foi feita por cientistas da Nasa, a agência espacial dos Estados Unidos. Mas, ironicamente, os resultados não provêm de alguma das muitas sondas que trabalham em órbita de Marte ou mesmo no solo marciano. O achado é fruto, na verdade, de intensas observações feitas com telescópios, na própria Terra.

Usando equipamentos especiais para identificar a composição química do planeta (os chamados espectrômetros, que permitem identificar compostos químicos a partir da luz emitida pelo objeto), a equipe de Michael J. Mumma e Michael D. Smith, ambos do Centro Goddard de Voo Espacial da Nasa, em Maryland, conseguiu detectar uma emissão intensa de metano em certas regiões de Marte durante o verão do hemisfério Norte do planeta vermelho em 2003.


Os cientistas mantiveram as observações por vários anos, e notaram certos padrões na emissão de metano. O primeiro é de que ele parte de regiões muito específicas; não é o planeta inteiro que está emitindo. O segundo é de que as emissões são sazonais, ou seja, acontecem apenas na época do verão marciano, quando as temperaturas ficam mais amenas (normalmente é muito frio no planeta vermelho). Essas sazonalidade e localidade são algumas das razões para os cientistas desconfiarem que talvez, por trás dessas emissões, estejam formas de vida.

Exemplo do planeta ao lado

Na Terra, cerca de 90% das emissões de metano -- um poderoso gás de efeito estufa -- são propiciadas por forma de vida. Uma grande parcela disso é fruto da flatulência do gado. Mas em Marte ninguém espera encontrar pastos cheio de vacas soltando gases pelo traseiro. Entretanto, há muitas bactérias capazes de emitir metano como resultado de seu metabolismo. Talvez alguma coisa parecida com isso aconteça no planeta vermelho.

Mas os cientistas são cuidadosos ao afirmar que, talvez, tudo não passe de gases aprisionados em meio a substâncias voláteis, como água e dióxido de carbono, que ficam a maior parte do tempo congelados no subsolo marciano. Eles poderiam ter sido criado muito tempo atrás -- fruto de vida antiga ou mesmo de atividade geológica antiga -- e só agora estariam vindo à tona, com o descongelamento sazonal das reservas em que estariam aprisionados.

Ainda é muito cedo para tirar qualquer conclusão. Mas a descoberta, divulgada nesta quinta-feira (15) on-line na revista científica americana "Science", sem dúvida evocará novos estudos, na tentativa de decifrar o mistério do gás que Marte soltou em 2003.

Fonte: G1 Notícias

APROFUNDA-SE O MISTÉRIO DO OVNI TENTACULAR

 

O mistério do "OVNI tentacular" visto antes da turbina eólica em Conisholme ser danificada aprofundou.
Agora Robert Palmer, presidente do Conselho Distrital de East Lindsey, diz que também viu uma luz estranha no céu na noite anterior a queda da lâmina da turbina.
Ele estava viajando em um carro e viu uma luz no céu acima do parque eólico de Conisholme .
Ele disse: "Não há dúvida, havia alguma coisa ali."
John Harrison de Saltfleetby, já nos disse o que viu, uma "enorme bola de luz com tentáculos" indo para baixo, à direita do parque eólico no sábado à noite.
Na manhã seguinte, locais descobriram uma lâmina há 89 metros das turbinas eólicas e uma outra lâmina gravemente prejudicada.
Dorothy e Stephen Willows também viram luzes estranhas no sábado à noite que pareciam encostar nas turbinas.
Dorothy disse: "Eu não acredito em OVNIS, mas houve um objeto voando baixo. A luz foi vista a distância, e parecia tocar as turbinas".
Stephen foi acordado por um "grande e forte estrondo que soava como um trovão" as 4 horas da manhã de Domingo.
Uma equipe de peritos da Ecotricity está investigando o que causou o dano e garante que não existe nenhum perigo para o público.
Entretanto, os nossos relatórios dos avistamentos OVNIS e os danos à turbina eólica se espalharam como fogo em toda a web.
Um site postou uma imagem de um "polvo OVNI ", juntamente com o relato, e os outros estão recebendo mensagens de pessoas sobre os danos.
Uma mensagem postada em um site diz: "A lula espacial encobre os operários que trabalham para o Big Oil, destruindo as fontes de energia alternativas. Me parece razoável."
Outra diz: "Há planos para construir uma turbina eólica na extremidade da aldeia onde eu moro em Leicestershire, por isso vigiaremos qualquer atividade OVNI quando estiver construída!"
Fonte:
Louthleader

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

NASA detecta som misterioso de explosão em espaço profundo; de origem desconhecida.

image A NASA detectou um som no espaço profundo que desafia crenças ou qualquer explicação. Eles não têm a mínima ideia sobre a origem do som, diz Alan Kogut do Centro Espacial Goddard, nos EUA.

Segundo o cientista, em vez de receberem um sinal fraco como esperavam, eles ouviram um som de uma explosão seis vezes mais alto que qualquer previsão.

De acordo com a NASA “a fonte deste ruído de rádio de fundo permanece um mistério”. Não veio de estrelas primordiais, não é de nenhuma fonte de rádio conhecida e na realidade, o problema aqui é “não há galáxias de rádio (como quasares, por exemplo) suficientes que expliquem o sinal”.

Por outras palavras não há nada no nosso conhecimentos sobre o cosmos que seja capaz de produzir este som.

Segundo a Universidade de Maryland, nos EUA, para se formar este tipo de sinal “era necessário juntar todas as galáxias de rádio do universo como sardinhas e não haveria nenhum espaço entre elas”. Estes também não sabem de onde veio este som misterioso.

O som foi detectado pela ARCADE, uma sonda carregada por um balão que é arrefecida quase ao zero absoluto. O instrumento em si fica dentro de um tanque com quase 2 mil litros de hélio líquido para chegar a esta temperatura, que é a mesma temperatura a radiação de microondas de fundo.

image

Fonte: http://hypescience.com

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Estranhos pilares de luz aparecem no céu da Latvia

 Será esta a iluminação de natal mais incrível do mundo? Ou portais intergalácticos de transporte alienígena?

image

Olhando a imagem acima com a lupa científica, no entanto, estas luzes na cidade de Sigulda, República da Latvia, possivelmente envolvem cristais de gelo que caem do céu e refletem as luzes novamente.

A razão pela qual os pilares se abrem no topo, no entanto, ainda é desconhecida.

A foto acima e diversas outras similares foram tiradas com uma câmera digital comum no mês passado. O ar estava bem frio e cheio de cristais de gelo, exatamente o tipo conhecido por criar variados e incríveis efeitos, mas que são fenômenos bem conhecidos como pilares de luz, pilares de sol, pilares caninos que você pode ver abaixo.

image

Pilar solar

image

Cães solares (nas laterais)

O inverno gelado e cheio de neve do hemisfério norte está dando aos entusiastas do céu novas e inesperadas oportunidades de ver vários destes fenômenos ópticos atmosféricos.

Fonte:

HYPESCIENCE, link: http://hypescience.com/estranhos-pilares-de-luz-aparecem-no-ceu-da-latvia/

Dione tem sua falhas

 
image

Dione,a lua gelada de Saturno, sem dúvida, é uma experiência geológica em atividade, desde a sua constituição, como evidenciado pela falhas tectónicas e crateras em sua superfície.
Para criar esta vista com a cor reforçada, utiliza-se ultra-violeta, verde e imagens em infravermelho, que foram combinadas em uma única imagem, pois o preto e branco isola e causa diferença de cor nos mapas regionais. Este mapa colorido, foi sobreposto  nas plataformas,  uma imagem com um filtro claro. A origem da cor e as diferenças, ainda não são entendidas, mas podem ser causadas por diferenças sutis na composição da superfície ou o tamanho dos grãos que compõem o solo gelado.

Fonte: NASA 

UFO filmado em Buenos Aires - Argentina

11/01/2009 às 21:25Hs

Fonte: Bibiana Bryson

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Marte como você nunca viu

A 300 km da superfície do planeta vermelho, sonda da Nasa captura imagens inusitadas, procura água e prepara as missões do futuro

Pablo Nogueira
Fotos: Nasa

Imagine ser capaz de enxergar a superfície de um planeta alienígena com uma resolução que permitiria identificar uma espinha na bochecha de um terráqueo. Agora pode parar de imaginar e encha seus olhos com as imagens que acompanham estas páginas. Elas foram feitas pela Mars Reconnaissance Orbiter (MRO), a sonda da Nasa que está mudando a imagem de Marte a que acostumamos nossas retinas. Por meio dessas novas fotografias, dá para notar que a superfície do planeta abriga uma variedade de paisagens, que incluem vales, crateras, cânions, dunas, vulcões, rios secos, calotas de gelo, montanhas, desertos e até tempestades gigantes de poeira. Tudo isso aparece com detalhes nas 9.450 imagens que a MRO gerou em seus três anos e meio de atividades. Uma média de mais de dez cliques por dia.

BURACO MAIS EMBAIXO
Essa cratera azulada é relativamente recente e está dentro de outra cratera, a Pasteur. Para melhorar o contraste das imagens, algumas cores foram realçadas com a ajuda de tratamento de imagens

A MRO é a 18ª sonda lançada pelos norte-americanos para explorar nosso vizinho avermelhado. Quando chegou lá, em 2006, encontrou mais três satélites artificiais construídos pela Nasa pairando em órbita do planeta. Nenhum deles, porém, podia ser comparado à recém-chegada. O instrumento que permitiu à MRO dar um salto qualitativo na produção de imagens atende pelo nome de HiRISE. Ele possui um telescópio de 50 cm de abertura, que é o maior já enviado ao espaço. Acoplado a ele estão 14 sensores de imagem do tipo CCD (comumente encontrados em câmeras digitais), capazes de registrar luz visível e infravermelho. Combinados, eles podem gerar imagens que, em cores, alcançam os 240 megapixels de resolução, e, em p&b, 1.200 megapixels.


AZUL DA COR DO GELO
Nessa gigantesca cratera formada por impacto, chamada de Hellas Basin, as pequenas bordas protagonizam grandes sombras. As pinceladas de azul na imagem são artificiais e delimitam os locais onde pode haver áreas congeladas
ESCAVADA POR FLUIDOS
Chamada de Iani Chaos, essa região de Marte abriga a formação Ares Vallis, um vale que parece ter sido esculpido por líquidos. Água?

Acoplados a eles, um aparelho batizado de Time Delay Integration (algo como integração de intervalo de tempo) articula o funcionamento dos sensores, permitindo que eles obtenham uma fidelidade de registro em movimento que o CCD comum não tem (é bom lembrar que a sonda está tirando fotos a 300 quilômetros de altitude, movendo-se a 3.400 m/s). Para enviar essas imagens à Terra, a MRO está equipada com uma tecnologia de telecomunicações capaz de transmitir mais dados do que todas as demais sondas combinadas. Espectrômetros e um radar completam seu arsenal de instrumentos.


ESPINHA DORSAL
As fileiras de rochas de uma cratera se encontram com as paredes de outra, em uma região de Marte conhecida como Chryse Planitia
CAMPO DE MARTE
Essa área, localizada a oeste de um ponto de Marte conhecido como Nili Fossae, é um dos pontos propostos para aterrissagens sugerido pelo Mars Science Laboratory. As linhas rajadas e azuis são depósitos de areia

Como as demais sondas que têm sido enviadas a Marte pela Nasa desde os anos 1990, a missão tem um foco especial na busca de água. "O lema da MRO é 'siga a água'", afirma o gerente de operações de solo da empreitada, Eric Eliason. O mais recente capítulo dessa busca foi escrito em novembro, quando o radar da sonda identificou o que parecem ser grandes estruturas de gelo no subsolo marciano, longe dos polos, escondidas sob a poeira. "Mas a HiRISE tem sido igualmente importante para entendermos o passado da água no planeta", diz Eliason.


PRA LÁ E PRA CÁ
As tempestades de areia que se delineiam nas crateras do canto superior esquerdo da imagem indicam que os ventos sopram em duas direções diferentes por ali. Feitos de rocha, os aros que formam o contorno das crateras têm cerca de 1,5 metro de largura cada um
ESCULTURA METEÓRICA
A área mais azul-escura da foto provavelmente indica a presença de areia, disposta sobre blocos gigantes de rocha - que medem entre 3 e 91 m de altura - que resultam de uma colisão de um meteoro ou cometa contra a superfície do planeta

A MRO também apoia outras missões exploratórias conduzidas pela Nasa. Ela ajudou, por exemplo, a identificar os melhores locais para pousar a sonda Phoenix, fotografou as sondas Viking e ajudou os engenheiros responsáveis pelos rovers Spirit e Opportunity a desviar de obstáculos e a escolher os melhores pontos para explorar. "Também estamos ajudando a escolher o melhor lugar para pousar a próxima missão, o Mars Science Laboratory" [Laboratório de Ciência de Marte], diz Ingrid Spitale, líder do setor de telecomunicações do projeto. Ela conta que a missão, que deveria ter acabado em 2008, ganhou dois anos de extensão. "Mas, se houver interesse, ela pode continuar operando até acabar o combustível, o que só deve ocorrer em 2027", diz. Ainda vamos ver muitas imagens bonitas e inusitadas vindas do planeta vermelho.

OLHO VIVO
Com suas câmeras e seu sofisticado sistema de tratamento de imagem, a sonda manda, em média, mais de dez fotografias para a Terra todos os dias

Fonte: http://revistagalileu.globo.com/Revista/Galileu/0,,EDR85752-7943,00.html

UFOS avistados na Argentina

O último avistamento ocorreu no dia 2 deste mês, na cidade de Victoria, onde pelo menos três naves não foram identificadas.

image

Testemunhas dizem que viram, pelo menos três UFOs.
O primeiro surgiu da massa de água conhecido como Laguna Del Pescado e então se dirigiu para as áreas que circundam a cidade de Victoria.
O outro apareceu de forma paralela com a lua, antes de passar para o oeste e desapareceu em alta velocidade. Finalmente, uma outra luz, variando de branco, azul, vermelho, amarelo-laranja e fez o mesmo.
O UFO foi visto por várias testemunhas de diferentes localidades.  Uma delas disse que eles não são foguetes ou fogos de artifício, o site publica allnewsweb.com.
Este não é um incidente isolado, muitos avistamentos foram relatados nos últimos anos, na província de Entre Rios, e uma série de  mutilações de gados.

Existem também relatos de um UFO que caiu em 1992, que foi testemunhado por agricultores locais e militares.
Em Vitória, guardam alguns metais que foram retirados do acidente, que se torna transparente ao tentar fotografá-lo.

No entanto, os peritos que investigaram a área em volta da Laguna Del Pescado com receptores magnéticos, não encontraram irregularidades.

Por outro lado, a diretora do museu, Silvia Perez, é absolutamente convencida de que existe  UFOs na área, eventualmente submersos sob a Laguna Del Pescado.

Fonte: www.infobae.com

Nasa descobre misteriosa estática de rádio no espaço

Uma análise detalhada do ruído, diz a Nasa, eliminou como possíveis fontes as estrelas primordiais

 Ilutsrção do balão que levou o Arcade a mais de 30 km de altitude

Divulgação

Ilustração do balão que levou o Arcade a mais de 30 km de altitude

SÃO PAULO - Uma misteriosa tela de estática de rádio extremamente alta permeia o Universo e impede que os astrônomos observem o calor emanado das primeiras estrelas a surgir. Um instrumento da Nasa erguido ao céu por balão, o Arcade (sigla em inglês de Radiômetro Absoluto para Cosmologia, Astrofísica e Emissão Difusa), fez a descoberta. Lançado em 2006, o balão que transportava o Arcade subiu a 120 mil pés (36 km).  A missão do Arcade era captar o calor das primeiras estrelas a iluminar o Universo. Em vez disso, detectou um enigma.

O líder da equipe responsável pela missão, Alan Kogut, do Centro de Voo Espacial Goddard da Nasa, disse, em nota da agência espacial, que "o Universo nos pegou de surpresa". "Em vez do sinal fraco que esperávamos encontrar, lá estava esse barulho enorme, seis vezes mais alto do que tinha sido previsto".

Uma análise detalhada do ruído, diz a Nasa, eliminou como possíveis fontes as estrelas primordiais ou outras fontes conhecidas de sinais de rádio. A origem desse fundo cósmico de rádio é um mistério.

Muitos objetos do Universo emitem ondas de rádio. Em 1931, o físico Karl Jansky detectou estática emitida pela Via Láctea. Emissões semelhantes de outras galáxias criam uma estática contínua. O problema, segundo a pesquisadora  Dale Fixsen, membro da equipe que trabalhou no Arcade, é que aparentemente não existem galáxias suficientes emitindo rádio para explicar a intensidade captada pelo instrumento.

E o sinal das estrelas primordiais fica escondido atrás dessa cortina de estática. Esse fundo dificulta a detecção das primeiras estrelas, que se teriam formado 13 bilhões de anos atrás.

Fonte: www.estadao.com.br

Cometa mais brilhante de 2009 já pode ser visto na madrugada

Observar um cometa no céu é uma das mais interessantes experiências para qualquer pessoa. Afinal, não é todo dia que temos a oportunidade de ver um objeto no céu diferente dos planetas e das estrelas conhecidas. Para aqueles que gostam de astronomia, então, nem se fala. A atividade deixa de ser apenas "interessante" e passa a ser fascinante e educativa.

Cometa c/2007 N3

Atualmente, um dos objetos que começa a chamar a atenção é a chegada do cometa C/2007 N3 Lulin, que já pode ser visto durante as madrugadas de praticamente qualquer lugar do hemisfério Sul. As últimas observações mostram que o cometa já atingiu a magnitude 8 e deverá aumentar de brilho até a magnitude 4 com o passar dos dias.
O cometa se aproxima cada vez mais da Terra. Sua distância atual é de 239 milhões de quilômetros e no dia 24 de fevereiro atingirá o perigeu, a apenas 59 milhões de quilômetros. Neste dia sua magnitude será mínima (brilho máximo) e poderá ser visto facilmente por qualquer pessoa, mesmo sem auxílio de instrumentos.
No dia 10 de janeiro, sábado, C/2007 N3 atingirá a menor distância do Sol, quando passará a apenas 182 milhões de quilômetros da estrela. Sua órbita quase-parabólica sugere que este será o primeiro cometa a visitar o Sistema Solar interior, formado pelos quatro planetas rochosos e os objetos do Cinturão de asteróides. Como os cometas são bastante imprevisíveis, ninguém pode afirmar como C/2007 N3 se comportará na presença dos intensos raios solares.
A descoberta
C/2007 N3 é um cometa não periódico (não orbita o Sol) e foi descoberto no dia 11 de julho de 2007 pelos astrônomos Quanzhi Ye, do observatório de Guangzhou, na China e seu colega Chi Sheng Lin, do Instituto de Astrofísica de Lulin, em Taiwan.
Alguns dias após ser descoberto o astrônomo norte-americano Joseph Young observou que o objeto aparentava ter uma cauda. As primeiras observações ocorreram quando C/2007 N3 apresentava brilho de magnitude 19, tão fraco que só podia ser visto através de grandes instrumentos. Em julho de 2008 a magnitude do cometa havia decaído para 11 e em setembro de 2008 já estava na décima magnitude, lembrando que quanto menor a magnitude maior o brilho do objeto.
De acordo com dados publicados pelo REA-Brasil, Rede de Astronomia Observacional, em 26 de dezembro o astrônomo amador A. Amorim observou o cometa após sua a conjunção com o Sol. Na ocasião Amorim estimou que seu brilho era de 8 magnitudes, classificada com auxílio de um binóculo 20x80 e de um telescópio refletor de 180 mm.
Observando o cometa
Como explicado acima, atualmente C/2007 N3 apresenta brilho de 8 magnitudes, impossível de ser percebida pelo olho humano sem auxílio de instrumentos. Normalmente, o olho humano começa a perceber o brilho de objetos a partir de seis magnitudes e mesmo assim sob condições excelentes de visibilidade. Portanto, para ver o cometa nestes dias é necessário ir a um local bem escuro, longe das luzes e poluição da cidade, acompanhado de um telescópio ou binóculos.

Localização Cometa c/2007 N3

À medida que o cometa se aproximar mais do nosso planeta, sua magnitude irá decair até o dia 24 de fevereiro, quando as simulações indicam que seu brilho máximo atingirá a magnitude 4, similar à intensidade da estrela Gamma de Libra, mostrada na carta celeste acima.
Atualmente o cometa está nascendo no horizonte leste aproximadamente às 03h00 da madrugada e pode ser visto até um pouco antes dos primeiros raios de Sol. Com o passar do tempo C/2007 N3 surge mais cedo sobre o horizonte, tornando as observações mais duradouras durante a madrugada.
A carta celeste mostrada retrata a posição do cometa e das estrelas às 03h30 da madrugada e tem validade por aproximadamente uma semana, quando publicaremos um novo gráfico.
Bons céus!
Artes: No topo, cometa C/2007 N3 fotografado pelo astrônomo Karzaman Ahmad, do observatório Nacional de Langkawi, na Malásia. A cena após 24 minutos de exposição fotográfica feita através de um telescópio de 20 polegadas (meio metro) de abertura. Acima, carta celeste ajuda a localizar o cometa no céu. Créditos: Karzaman Ahmad, Langkawi National Observatory / Apolo11.com.

Fonte: Apolo 11

UFOS em Sibiu - Romênia

Sábado à noite, acima de Sibiu, poderia ser visto os mais brilhantes objetos. Stelian Ticuşan, fotografou 11 objetos visíveis por cerca de dez minutos. Tais ocorrências foram relatadas em outros lugares, mas é a primeira vez que eles são capturados com fotos de boa qualidade.

Vejam as fotos

Fonte: www.tribuna.ro

Britânicos suspeitam que ovni causou dano em turbina eólica

Ufologistas britânicos afirmam que uma turbina em um parque eólico no condado de Lincolnshire, no leste da Inglaterra, foi danificada pela colisão com um objeto voador não identificado (ovni).

No incidente, ocorrido na madrugada de domingo, a turbina eólica perdeu uma pá de 20 m e teve outra parcialmente destruída.

O conselheiro municipal Robert Palmer disse ter visto "uma luz circular, branca, que parecia estar pairando" sobre o local.

"É a única maneira que tenho como explicar o que vi", disse Palmer. "Não era como uma chama, era simplesmente uma luz redonda, branca, com uma borda fina e vermelha que parecia estar sobre as turbinas".

A turbina atingida está em um parque eólico na cidade de Conisholme, que tem 20 turbinas e opera com capacidade total desde abril de 2008.

"Fora do comum"
Segundo a empresa Ecotricity, proprietária do parque eólico, o episódio está sendo investigado, a pá danificada está sendo analisada e nada está descartado por enquanto. A empresa afirmou que a extensão dos danos na turbina foi "fora do comum".

"Nós não temos uma explicação no momento sobre a causa (do incidente)", disse o fundador da Ecotricity, Dale Vince.

"Até que tenhamos alguma idéia, alguma explicação plausível de que não foi um ovni, eu não acho que essa hipótese deva ser descartada", afirmou Vince.

"É muito difícil derrubar ou entortar uma dessas turbinas", acrescentou. Segundo Vince, a empresa espera que a turbina esteja pronta para ser utilizada novamente dentro de uma semana.

Atividade
O ufólogo Russ Kellett disse ter recebido mais de 30 telefonemas e e-mails de testemunhas que afirmaram ter visto atividade de ovnis na região.

"Uma disse ter visto o que, inicialmente, pensou ser uma aeronave voando baixo na noite de sábado", disse Kellett. "Outra ouviu o som de uma pancada forte nas primeiras horas de domingo"

No entanto, alguns especialistas sugerem uma explicação mais terrena para o episódio.

Segundo o especialista em design e fabricação de pás para turbinas eólicas Peter Schubel, da Universidade de Nottingham, caso a pá estivesse parada, seria necessário um impacto com a força equivalente a 10 toneladas para causar o tipo de estrago verificado.

No entanto, de acordo com Schubel, se a pá estivesse em movimento, ou tivesse sido atingida por um objeto em movimento, a força necessária para causar o dano seria bem menor.

"Com certeza não foi um pássaro", disse Schubel. "A pá pode ter sido atingida por gelo jogado de uma turbina vizinha."

O Ministério da Defesa britânico disse que não está investigando o episódio. "O Ministério da Defesa examina (esse tipo de) relatos somente quando é o caso de estabelecer se o espaço aéreo britânico pode ter sido violado por atividade militar hostil ou não-autorizada", disse um porta-voz.

"A não ser que haja evidência de uma ameaça em potencial, não há qualquer esforço para identificar a natureza de cada atividade dessas relatada", afirmou.

Fonte: BBC Brasil

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Hubble vê nova população de estrelas no centro da Via Láctea

Telescópio cria o mais detalhado panorama já feito da região central da galáxia onde fica a Terra

da Redação

Divulgação/HST - Parte do panorama do centro galáctico construído com imagens do telescópio

SÃO PAULO - Imagens em luz infravermelha feitas pelo telescópio espacial Hubble mostram uma nova população de estrelas de grande massa no centro da Via Láctea, além de novos detalhes nas estruturas de gás ionizado que cercam os 300 anos-luz centrais da nossa galáxia.

O panorama final combina imagens do Hubble e de outro telescópio espacial, o Spitzer. A Nasa explica que nuvens de poeira impedem a observação do núcleo galáctico com luz visível, mas que o infravermelho é capaz de penetrar essa barreira. O núcleo da Via Láctea encontra-se a 26 mil anos-luz.

Os novos dados revelam o brilho do gás hidrogênio ionizado, além das estrelas que não haviam sido observadas antes.

Outra descoberta feita a partir das imagens é a de que as estrelas do centro galáctico não estão todas confinadas  aos três aglomerados da região, conhecidos como Central, Arches e Quintupleto. Eles aparecem como grandes concentrações de brilho na imagem do Hubble. As estrelas isoladas podem ter se formado à parte, ou podem ter nascido nos aglomerados e arrancadas deles por forças gravitacionais.

Os ventos e a radiação dessas estrelas dão forma às estruturas complexas vistas no núcleo e, em alguns casos, podem estar desencadeando a formação de ainda mais estrelas.

Fonte: http://www.estadao.com.br/vidae/not_vid302874,0.htm

Via Lactea: Saiba onde está o Sol dentro da Galáxia!

Todos sabem que a cada 28 dias aproximadamente, a Lua completa uma volta ao redor da Terra. Também é de conhecimento básico que a Terra, junto com a Lua, executa o movimento de translação ao redor do Sol, que leva 365.25 dias para ser completado. Aliás, não é só a Terra que circunda o Sol, mas todos os planetas, Luas, asteróides e satélites executam esse movimento de translação.

Via Láctea

O que poucos sabem, no entanto, é que nosso Sol, com tudo que gira ao seu redor, também circunda alguma coisa, mas essa "coisa" está tão longe que nós nem percebemos o movimento. Estamos falando do centro a Via Láctea, ao redor do qual o Sol e mais de 200 bilhões de estrelas giram.
Toda a Via Láctea descreve um movimento de rotação ao redor de um ponto central, mas seus
componentes não se deslocam à mesma velocidade. As estrelas que estão mais distantes do centro movem-se a velocidades mais baixas do que aquelas que estão mais próximas.
Nosso Sol descreve uma órbita praticamente circular em torno da Via Láctea e sua velocidade de translação é de 225 km por segundo. Para dar uma volta completa ao redor do centro da Galáxia o Sol leva aproximadamente duzentos milhões de anos. Como a idade da nossa estrela é de 4.5 bilhões de anos, podemos afirmar que desde que existe, o Sol já deu 22 voltas ao redor da Galáxia.
Braços
A Via Láctea é uma galáxia espiral formada por 4 braços maiores - Perseu, Norma, Crux-Scutum e Carina-Sagitário - e os braços menores de Órion e Cignus.

Atualmente, o Sol ocupa uma posição na periferia da Via Láctea, conhecida como Braço de Orion, distante cerca de 27 mil anos-luz do centro galáctico.
Até 1953 os astrônomos não tinham conhecimento da existência dos braços da Via Láctea. A observação da estrutura espiralada era obstruída pela poeira estelar, além de ser dificultada por ser feita de dentro da própria Galáxia. Até este ano (2008) os cientistas acreditavam que a Via Láctea possuía os 4 braços mencionados, mas
dados fornecidos pelo telescópio Spitzer estão mudando essa concepção.
Segundo o modelo proposto pelo astrofísico Robert Benjamin, da Universidade de Wisconsin, a via Láctea possui apenas dois braços principais: Perseus e Scutum-Centaurus, sendo os demais braços reclassificados como braços menores ou ramificações. Centaurus e Perseus contêm uma enorme concentração de estrelas jovens e brilhantes.
Como vimos, a Via Láctea é classificada como sendo uma galáxia espiral e seus braços giram em torno do núcleo à semelhança de um grande cata-vento. Em seu interior, nosso Sol não passa de um minúsculo grão de areia a vagar pelo Universo.


Artes: No topo, concepção artística mostra a Via Láctea e seus braços, com destaque para o Sistema Solar, no Braço de Órion. Crédito: Wikimedia Commons. Na seqüência, mosaico de 360 graus mostra a Via Láctea vista da Terra. Repare a linha de poeira estelar, que impede a observação de alguns pontos. Crédito: Wikimedia Commons/Digital Sky.

Fonte: www.apolo11.com/curiosidades

Telescópio vê escombros de planetas similares à Terra perto de estrela morta

da Folha de S.Paulo

Uma nova análise da luz emitida pelas chamadas anãs brancas --objetos cósmicos que são remanescentes de estrelas mortas-- revelou que muitas delas podem ter abrigado planetas similares à Terra no passado.

Estudando imagens que o Telescópio Espacial Spitzer, da Nasa (agência espacial norte-americana), fez de seis desses cadáveres estelares, astrônomos descobriram que boa parte da poeira em seu entorno é composta de minerais que são comuns em planetas rochosos e asteroides do Sistema Solar.

Nasa


Concepção artística mostra estrela morta cercada por pedaços de asteroide que se desintegra; estrelas podem ter abrigado planetas

Essa poeira é provavelmente resto de planetas destruídos, dizem os pesquisadores. Antes de morrer, uma estrela como o Sol incha até se tornar uma gigante vermelha, que aniquila planetas de órbitas mais próximas.

Só depois ela expele suas camadas mais externas e se torna uma anã branca. Como o material remanescente é bem mais fragmentado do que os grandes asteroides e planetas em torno de estrelas vivas, fica mais fácil para astrônomos analisarem sua composição.

O Spitzer já havia observado essa poeira com detalhes em outras duas anãs brancas, mas só agora, com dados de mais seis delas, os cientistas puderam tirar conclusões seguras.

Necrotério cósmico

A vantagem de analisar asteroides e escombros planetários perto de estrelas mortas é que eles são mais fragmentados do que o material que existe em torno das estrelas vivas. Ao separar em faixas do espectro a luz refletida por essa poeira, o Spitzer consegue identificar os materiais que a compõem.

"É como se as anãs brancas separassem a poeira para nós", disse o astrônomo Michael Jura, da Universidade da Califórnia em Los Angeles, em comunicado à imprensa. "Se você triturasse nossos asteroides e planetas rochosos, obteria o mesmo tipo de poeira que estamos observando nesses sistemas estelares [anãs brancas]."

Segundo os pesquisadores, uma consequência importante do estudo é alimentar a ideia de que lugares mais propensos ao surgimento da vida, como a Terra, podem ser menos raros do que se pensava. "Isso nos mostra que essas estrelas têm asteroides como os nossos e, por isso, podem ter também planetas rochosos", diz Jura. Um estudo do astrônomo sobre o assunto foi aceito pela revista "The Astronomical Journal" e deve ser publicado em breve.

Fonte: www1.folha.uol.com.br/folha/ciencia

Subsolo de Marte pode ter condições para surgimento de vida, diz cientista

Da Efe
Em Moscou

No subsolo de Marte pode haver condições para o surgimento de formas de vida, afirmou o subdiretor do Instituto de Pesquisas Espaciais da Academia de Ciências da Rússia, Oleg Korablev, para a agência "Interfax".
"A superfície do planeta vermelho é pouco apta para a vida, mas no subsolo, à pequena profundidade, as condições para que esta exista podem ser completamente aceitáveis", declarou o cientista, que destacou a importância da missão da sonda "ExoMars" para Marte, que está sendo preparada pela Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês).

Enquanto os robôs da Nasa só analisaram o superfície de Marte, a missão da Agência Espacial Européia vai procurar sinais de possibilidade de vida no subsolo do planeta

Em Marte "há um pouco de ozônio, mas a grossura da atmosfera é tão pequena que a radiação solar ultravioleta chega à superfície do planeta quase com toda sua força e, literalmente, a esteriliza", declarou.
Korablev afirmou que em Marte "é necessário cavar, e não apenas cavar um pouco, como fizeram a sonda americana, mas perfurar o solo", missão que a "ExoMars" pode cumprir com sucesso.
Afirmou que o aparelho preparado pela ESA - que se cumprir o calendário previsto poderia partir da Terra com destino a Marte em 2013 - tem uma perfuradora que pode alcançar dois metros de profundidade.
O cientista russo acrescentou que as mostras do subsolo marciano serão examinadas com ajuda de microscópios e, depois, serão queimadas para analisar os gases que forem gerados de sua combustão.
"Trata-se de uma análise voltada à busca de produtos biológicos e plantas de vida biológica", declarou Korablev, que expressou sua confiança de que Rússia terá uma participação ativa na experiência da ESA.

Fonte: UOL - Ciência e Saúde

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Cientista revela a forma dos UFOS vistos em Phoenix - Arizona

por Ronald Nussbeck - 21/12/2008

Durante os últimos dez anos eu trabalhei em diversos projetos do UFO que mistificaram o mundo, uma delas são as luzes de Phoenix. No início de 2008, quando o processo fotográfico de PPP-PENETRATING foi utilizado para estabelecer a identidade verdadeira do que havia por trás das luzes, que apareceram sobre Phoenix no Arizona, em 13 de março de 1997. Os fenômenos óticos ocorreram sobre Nevada, Arizona e o estado mexicano de Sonora com milhares de testemunhas. A força aérea de Estados Unidos identificou o segundo grupo de luzes como foguetes que cairam de um avião  A-10 Warthog durante um exercício de treinamento sobre a faixa de Barry Goldwater, mas muitas pessoas permaneceram cépticas diante desta história, que veem um encobrimento deste fato. As luzes foram vistas sobre as montanhas da superstição, que na noite, teve oito luzes conectadas e uma nona luz separada que se moveram em uníssono com as oito luzes.

Vídeo das luzes de Phoenix abaixo:

A foto abaixo foi preparada pelo cientista que desenvolveu e patenteou PPP e mostra passo a passo, a foto da Luz de Phoenix que tenho chamado de "A nave meteoro".

image

image

A foto abaixo é a foto seguinte, no processo passo a passo das luzes de Phoenix, porque a "nave meteoro", assume uma estrutura sólida.

image

A próxima foto mostra um Alien em pé na borda da janela olhando para fora. Os Aliens são humanóides como muitos outros que temos fotografados, e é uma teoria do meu ponto de vista, que será a quarta, que irei comentar nas próximas semanas. A fotografia utilizando seqüência passo a passo das imagens, mostram como PPP é capaz de realçar a foto do Alien e da nave, para o Mundo, e ainda haverá alguns que irão duvidar da autenticidade da foto, para eu fazer esta oferta. Qualquer incrédulo, Cientista, NASA ou de Governo, que possam provar que a foto não são reais, vou pagar  U$ 10.000. A oferta é feita, sabendo que as fotos são reais e que será impossível desmerecer.

image

Fonte: UFODIGEST

Existem bases secretas na Austrália para monitorar os OVNIs?

Por Administrator

04 de janeiro de 2009

Por Michael Cohen

Tradução: Milton Dino Frank Junior

Região de Exmouth na Austrália Ocidental

No dia 7 de outubro de 2008, os passageiros em do vôo 72 da Qantas de Cingapura para Perth experimentaram algo que pode muito bem assombrá-los para o resto de suas vidas. Enquanto o Airbus A330-303 estava viajando em cima da cidade isolada de Exmouth na Austrália Ocidental os pilotos receberam uma mensagem por engano e o piloto automático foi automaticamente desligado. O avião subiu 60m antes de ser lançado para baixo, mergulhando 200m durante 20 segundos terríveis em uma manobra sem comando. Os pilotos firmaram o avião de qualquer forma e poucos minutos depois a aeronave mergulhou outros 120m de novo em 16 segundos.

Os passageiros foram lançados para o teto e foram arremessados ao longo da aeronave. Setenta e quatro passageiros ficaram feridos, sendo que alguns relativamente sério. Então o avião fez um pouso de emergência perto do misterioso Aeroporto de Learmonth.

Logo foi revelado que um evento semelhante a esse aconteceu quase no mesmo local há exatamente três anos atrás, no Vôo 124, das Linhas aéreas da Malásia com um Boeing 777-2H6ER que voava de Perth para, Kuala Lumpur em 1 de agosto de 2005, quando mensagens incorretas foram também recebidas e o avião subiu e depois mergulhou vários metros abaixo. O piloto automático também foi desligado e se tornou inútil durante o resto do vôo.

Geoff Thomas que faz parte da aviação australiana pensa que as semelhanças destes dois eventos são uma coincidência extraordinária. Mas seriam estes eventos coincidências?

Nesta área operam duas bases militares bastante reservadas. Uma delas é a Estação de Comunicação Naval Harold E. Holt que já foi mencionada extensivamente em relação aos incidentes. A Estação de Comunicação Naval foi construída em 1963 juntamente com os EUA por iniciativa australiana. O propósito desta estação é o de prover transmissões de rádio de muito baixa freqüência para submarinos e navios da Marinha dos EUA e da Marinha Real australiana que operam no Oceano Índico. A estação consiste em 13 torres de rádio. Com um poder de transmissão de 1000 quilowatts e é a estação de transmissão mais poderosa do hemisfério sul. A estação foi originalmente controlada pelos EUA, mas agora é controlada pela Austrália e curiosamente é administrada pela Boeing da Austrália Ltda.

A Agência de Segurança e Transporte Australiana quando investigou os incidentes disse que a interferência da estação poderia ter causado os incidentes, embora tenha concluído que isto é improvável.

Não se sabe quase nada sobre a Base da RAAF em Learmonth perto de Exmouth. Esta é uma das três bases limitadas na Austrália e só é mantida por um pessoal pequeno que a vigia durante o tempo de paz (sem guerras). O acesso é restrito e é difícil de averiguar se o lugar está sendo usado atualmente.

O Observatório Solar de Learmonth também fica perto do local dos incidentes. Este local consiste de alguns edifícios brancos, e uma sede óptica com telescópios, e antenas parabólicas, e fica a poucos quilômetros de Exmouth. Esta estrutura existe com o objetivo de monitorar o sol, porém outros projetos são empreendidos ali de acordo com os web sites do Governo que afirmam que o local também monitora a ionosfera, atmosfera superior, e ainda monitora a descoberta de meteoros ameaçadores.

Esta estrutura é administrada juntamente pela Rádio IPS e pelo Serviço Espacial que faz parte da Agência australiana de Meteorologia, e da Estação Climática da força aérea dos Estados Unidos (AFWA). Há um total de 15 pessoas empregadas no local onde se executa observações, análises, manutenções, e funções de suporte a administração da Austrália e EUA. O pessoal do observatório é recrutado pela Rádio IPS e pelo Serviço Espacial e consiste em dois físicos, um gerente administrativo; e 11 pessoas ligadas a AFWA para prover análises e apoio à manutenção.

A Base da RAAF em Learmonth, e o Observatório Solar em Learmonth não foram mencionados em qualquer das investigações oficiais. O fato é que Exmouth é um famoso local onde vários avistamentos de OVNIs já ocorreram, e isto também foi ignorado, não é surpreendentemente? Isto nos leva a uma pergunta que é:

"Qual seria o verdadeiro propósito de todas estas bases?"

O uso declarado do Observatório Solar para observar a ionosfera monitorando as descobertas de meteoros ameaçadores fornece uma cobertura perfeita para o estudo e a localização de outros objetos que se movem pelo espaço e dentro das camadas superiores de nossa atmosfera. Vários relatórios e casos de OVNIs foram descobertos dentro da ionosfera pelas agências espaciais do mundo inteiro e estes casos foram noticiados. O fato desta estrutura ser administrada pela Força Aérea dos EUA é muito interessante.

Richard Hoagland, ex-empregado da NASA e uma personalidade conhecida mundialmente por seus conhecimentos em arqueologia espacial, liberou um vídeo da NASA que foi feito em uma missão do ônibus espacial americano em setembro de 1991, e que foi apanhado acidentalmente por um operador de rádio amador. Logo depois, para evitar a distribuição pública da mensagem através de estações de rádios amadores, a NASA codificou seu sinal totalmente para acabar com a captação de imagens de suas transmissões de vídeo pelo público. O vídeo mostra um OVNI com uma luz intensa se aproximando da atmosfera terrestre emitindo dois raios em direção a Terra. Logo depois esta nave se move e faz uma volta de 180 graus e viaja para longe da terra com uma velocidade incrível, sendo que um destes raios foi confirmado que foi visto em Exmouth.

Vários fazendeiros locais e residentes informaram que viram OVNIs coloridos e com luzes intensas na área através dos anos. Existe também um famoso caso em 1991 envolvendo várias testemunhas que viram raios vindo do espaço nesta região.

Também deveria ser notado que a Austrália Ocidental, especialmente a área mais ao norte, é uma das mais desertas do planeta e que ao mesmo tempo possui uma moderna infra-estrutura. A Austrália Ocidental é politicamente estável, rica em recursos minerais que fazem desta área um local privilegiado para operações de alta tecnologia hiper secretas.

Será que as três estações em Exmouth estão monitorando os céus para identificar ameaças potenciais vindas do espaço ou será que elas fazem parte de um sistema de controle de tráfico galáctico que informa o tráfego de OVNIs que se aproximam da Terra?

Será que a empresa da Boeing usa a base para se familiarizar com protocolo de viagem do espaço ou busca procedimentos e conhecimentos para um dia expandir as viagens intergalácticas?

Acredito que alguma engenhoca de uma ou todas estas bases interferiram nos sistemas dos aviões. Talvez a Boeing ou a Airbus não tenham provido seus aviões com um mecanismo experimental anti OVNIs e estes foram apanhados por estes mecanismos de alta tecnologia que estão secretamente nestas bases.

Será que uma destas bases confundiu os aviões com uma nave extraterrestre resultando em procedimentos que são ativados para guiar os OVNIs para um local de pouso determinado?

A recente revelação surpresa do político australiano Malcolm Turnbull que qualquer coisa que esteja relacionado com OVNIs tem a classificação de fatos hiper secretos, mostra para a gente que não teremos resposta alguma sobre estes fatos num futuro próximo e que nós nunca iremos descobrir o que realmente fez com que estes dois aviões tiveram o mesmo defeito e falha operacional exatamente no mesmo local.

Fonte: CUB

sábado, 3 de janeiro de 2009

Lua de Saturno pode ter 'vulcões de gelo', dizem cientistas

 

image

Titã, a maior das cerca de 60 luas de Saturno, pode ter vulcões de gelo ativos ou que estiveram ativos até recentemente, sugeriram observações feitas a partir da sonda Cassini e apresentadas em reunião na União Geofísica dos Estados Unidos, em São Francisco.
Ao invés de expelir lava, acredita-se que estes vulcões liberariam água gelada, amônia e metano.
Segundo Bob Nelson, da Nasa (agência espacial americana), já foram montados muitos modelos teóricos que mostram que o "criovulcanismo" é viável na região mais afastada do Sol no Sistema Solar, "em um objeto do tamanho de Titã". Observações anteriores de Titã haviam identificado características intrigantes na superfície da lua que sugeriram a presença de criovulcanismo, mas a espessa atmosfera que encobre o corpo celeste sempre dificultou a confirmação do fenômeno, de acordo com Jonathan Amos, repórter de ciência da BBC News.
Mas as evidências da existência de vulcões de gelo aumentam.
Luminosidade Cientistas da equipe responsável pela Cassini conseguiram localizar duas alterações distintas na luminosidade em dois locais separados na região equatorial de Titã.
As alterações foram identificadas pelo espectômetro da Cassini, quando a sonda sobrevoou Titã entre julho de 2004 e março de 2006.
Em um dos locais identificados, os cientistas encontraram evidências de gelo de amônia, que pode ter vindo do interior de Titã.
"Amônia é um material que muitos acreditam que estaria no interior de Titã, mas não é encontrado na superfície", disse Nelson. "Então, encontrar amônia na superfície em determinados períodos é uma forte indicação de que materiais do interior estão sendo transportados para a superfície." Outra razão que leva os cientistas a gostarem da teoria de criovulcanismo é que ela explica a quantidade significativa de metano retida na atmosfera de Titã.
Sem meios de reposição, a concentração original de metano desta lua de Saturno deveria ter sido destruída há muito tempo pela luz ultravioleta do Sol.
Mas nem todos os pesquisadores estão convencidos da idéia de vulcões em Titã.
Jeffrey Moore, um geólogo da Nasa independente da missão Cassini, disse na reunião que o relevo com aparência de fluxo de lava visto na superfície de Titã "pode ser apenas de detritos gelados que foram lubrificados com chuva de metano e transportados (...) em linhas sinuosas como deslizamentos de terra".

Fonte: BBC Brasil.com